Sustainability

Águas residuais e lamas

Águas residuais e lamas

O tratamento de águas residuais é o processo de remoção de contaminantes de efluentes líquidos. Inclui processos físicos, químicos e biológicos para eliminar os poluentes. Uma vez tratada, a água pode ser devolvida à natureza. A água de esgoto é gerada por residências, instituições, hospitais e por estabelecimentos comerciais e industriais. Ela pode ser tratada perto de onde é gerada, ou recolhida e transportada através de uma rede de tubos e estações elevatórias até uma estação de tratamento municipal. As fontes industriais de águas residuais costumam exigir processos de tratamento especializados, os quais estão frequentemente presentes no local.

Neutralac® é a marca global de produtos e serviços da Lhoist utilizados no tratamento de resíduos e lama residual. A sua função é otimizar a sedimentação adicional de diversos materiais, além de reduzir e neutralizar os maus odores.

www.neutralac.com

Neutralização de águas residuais

Para que o valor de seu pH seja ajustado, as águas residuais devem ser neutralizadas. Só assim ela poderá cumprir as exigências de diferentes unidades de processamento dentro de um sistema de tratamento de águas residuais.

A neutralização pode ser utilizada para tratar águas residuais ácidas que contêm metais. Adicionar um reagente alcalino aumenta o pH do resíduo ácido. Isso forma um precipitado que recolhe os metais indesejados. O resultado é uma nova solução cujo pH foi ajustado para o intervalo ideal, a fim de precipitar metais como hidróxidos.

O Neutralac® SLS45 é um bom exemplo da abordagem do P&D da Lhoist quanto ao desenvolvimento de soluções inovadoras. Uma suspensão rápida e pronta para ser utilizada composta de 45% de sólidos, que é entregue a uma viscosidade inferior a 300 cPs.

Apresentando alta reatividade (KIWA T90 < 5 s), ele é ideal para uma rápida neutralização do ácido e também é proficiente na manutenção de um pH estável.

O Neutralac ® SLS45 é mais avançado do que a cal líquida atualmente disponível no mercado, capaz de um desempenho comparável ao da soda cáustica. Em muitos casos, o uso do Neutralac ® SLS45 melhora a precipitação de metais pesados, a estabilidade do floculante e a porosidade e teor de umidade da torta de filtração.

Para saber mais, acesse: www.sls45.com

 

Precipitação de águas residuais

Redução de metais pesados ​​e outros íons

Metais não se dissolvem no ambiente. Eles podem ser muito tóxicos para seres humanos e animais. Por conseguinte, municípios e indústrias devem retirá-los das águas residuais.

A precipitação química é a tecnologia mais comum utilizada para eliminar metais (iônicos) a partir de soluções, tais como águas residuais de processos que contêm metais tóxicos. Os metais iônicos são convertidos em uma forma insolúvel (partículas) por reação química entre os compostos de metais solúveis e o reagente precipitante. As partículas formadas por essa reação são retiradas da solução por sedimentação e/ou filtração.

Vários fatores influenciam a eficácia de um processo de precipitação química, incluindo o tipo e a concentração de metais iônicos presentes na solução, o precipitante utilizado, as condições de reação (sobretudo o pH da solução) e a presença de outros componentes que podem inibir a reação de precipitação.

O processo de precipitação química mais utilizado é a precipitação de hidróxido. Durante esse processo, formam-se hidróxidos de metais utilizando hidróxido de cálcio como agente precipitante. Cada metal dissolvido tem um valor de pH diferente em que ocorre a precipitação de hidróxido ideal: de 7,5 para o cromo a 11,0 para o cádmio.

Ao considerar o custo de agentes precipitantes e a necessidade de álcalis, a cal é a opção mais econômica para remover metais de águas residuais.

Tratamento de lamas

A lama residual acumulada por processos de tratamento de água residual deve ser tratada e descartada de uma maneira segura e eficaz. A metodologia de tratamento de lama residual a ser utilizada depende da quantidade de lama gerada e de outras condições específicas do local.

A cal simplifica o desaguamento de lama residual orgânica e mineral, aumentando seu teor de matéria seca e melhorando a sua estrutura (manuseio e armazenamento mais simples). Ela também estabiliza e desinfeta a lama em estações de tratamento de água para evitar odores, aumentando assim o seu valor agrícola.

É possível utilizar a cal para estabilizar a lama residual industrial, para a dragagem de lama e para o tratamento de biossólidos urbanos antes do reuso agrícola ou da incineração. Ajudando na coagulação, a cal deixa a lama mais fácil de ser manuseada, previne a fermentação, limita odores, elimina patógenos e mantém os íons metálicos em uma forma insolúvel. Ela também enriquece a lama com cálcio e magnésio (quando cal dolomítica é utilizada), ambos os quais são particularmente benéficos para o uso agrícola.

O projeto da estratégia de gestão e minimização de lama residual deve apontar para a redução em cada etapa da cadeia de geração de lama:

  • durante todo o processo de produção, para reduzir os desperdícios e, em seguida, reduzir a produção de lama residual,
  • na estação de tratamento de águas residuais, utilizando novas tecnologias adaptadas que reduzem a   quantidade de lama produzida por quantidade de Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) tratada,
  • durante a disposição, para selecionar a rota mais estável e mais econômica.

Acrescentar o Neutralac® à lama residual traz muitos benefícios:

Tratamento de solos poluídos

A contaminação do solo é causada pela presença de produtos químicos feitos pelo homem ou outras modificações ao ambiente natural do solo. Ela geralmente surge a partir da ruptura de tanques subterrâneos de armazenamento, aplicação de pesticidas, percolação de água de superfície contaminada para estratos em subsuperfície, descarte de óleo e combustível, lixiviação de resíduos de aterros sanitários ou descarga direta de resíduos industriais no solo. Os produtos químicos mais comuns encontrados são hidrocarbonetos de petróleo, solventes, pesticidas, chumbo e outros metais pesados. A probabilidade de contaminação do solo está relacionada com o grau de industrialização e a intensidade do uso de produtos químicos nas proximidades.

As preocupações com a contaminação do solo vêm principalmente de riscos potenciais à saúde, tanto do contato direto quanto da contaminação secundária de suprimentos de água.

A limpeza da poluição ambiental envolve diversas técnicas, que vão desde processos biológicos simples a tecnologias de engenharia avançada. Os processos de eliminação podem basear-se no contaminante específico (ou classe de contaminantes) e no local.

Resíduos metálicos

Com uma legislação ambiental cada vez mais rigorosa, escassez de oferta de matéria-prima e elevados preços dos metais, torna-se mais e mais relevante a implementação de processos específicos para o tratamento de resíduos metalúrgicos e a recuperação do seu valioso conteúdo. Os engenheiros da Lhoist, em associação com outros parceiros, dedicam-se a criar processos inovadores para destruir os hidrocarbonetos contidos em várias formas de lama residual, bem como a recuperar certos metais, prontos para serem reutilizados na planta.

Por exemplo, lama residual oleosa e carepas fazem parte de resíduos metalúrgicos. Hoje, é possível recuperar seu teor de ferro de forma eficiente, sem impedir o diagrama das operações de ferro-aço principal.