Recuperar a natureza

Uma vez que todo o nosso negócio trata de valorizar um recurso natural extraído do solo, a Lhoist acredita sem reservas que é nossa obrigação contribuir com mais. O facto de sermos proprietários de depósitos durante longos períodos de tempo antes de iniciarmos as nossas operações, significa que podemos estudar o local e garantir que, quando o deixarmos, várias décadas mais tarde, não só o restauramos, como o melhoramos. Consultámos especialistas nesta área e criámos estratégias com respeito à gestão das nossas pedreiras.

Criar uma reserva natural

A escavação de calcário da Lhoist parou após mais de um século de atividade. Em colaboração com o município de Amay (Bélgica), o Departamento da Natureza e Administração de Florestas e a Valónia, lançámos uma iniciativa no sentido de criar uma reserva natural oficial que cobre uma área de 28 hectares. A antiga pedreira irá promover a colonização de espécies protegidas num habitat aberto e natural que inclui um curso de água e os penhascos originais. Apenas parte do terreno será aberto ao público. O público terá acesso a uma área mais protegida através de uma visita guiada. Todas as partes assinaram uma carta para assegurar a colaboração por um período mínimo de 30 anos.

 

Proteger o sapo-parteiro

Existe um conjunto de locais de escavações na área – incluindo a pequena pedreira de Dachskuhle (Alemanha) – que não é explorado de forma contínua. Durante os períodos em que a exploração está suspensa, as condições na superfície da mina de Dachskuhle são excelentes para a propagação do sapo-parteiro. Até hoje, os resultados revelam que este género está a reproduzir-se com sucesso e que os anfíbios são resistentes e saudáveis. Os blocos de calcário existentes e os maiores lagos de água permanente são importantes habitats secundários para espécies protegidas e em vias de extinção, numa área densamente povoada.

 

Apoiar uma espécie: o Projeto Coruja

O Projeto Coruja monitoriza a presença de bufos-reais, cada vez em maior número, que regressaram a uma área que inclui pedreiras ativas e fechadas. As minas representam importantes habitats secundários numa área densamente povoada para estas espécies em vias de extinção e extremamente protegidas. Um especialista em ornitologia estuda os habitats das corujas nos locais de escavação, o desenvolvimento da população e a reprodução, bem como as novas gerações e práticas de caça. O projeto também procura melhorar as condições do habitat das corujas. O projeto está a ser executado em colaboração entre a indústria da cal e as autoridades locais. Todas as partes assinaram um contrato de direito público.

 

Orquídeas numa pedreira

As operações na pedreira de Vojska, em funcionamento desde o século XIX, resultaram na criação de paredes com diferentes formas. Durante uma interrupção nas operações mineiras, várias espécies de orquídeas começaram a crescer e a reproduzir-se em consequência das excelentes condições de habitat resultantes dessa interrupção. O resultado foi a proliferação de uma importante população desta espécie protegida. A Lhoist negociou a expansão do local e abandonou a escavação de calcário que prejudicaria o crescimento das orquídeas.